4.21.2012

ratos gigantes

Os ratos gigantes de Gâmbia

Há uns dias atrás a notícia de ataques de ratos gigantes a moradores de uma comunidade de Khayelitsha, em Cape Town, na África do Sul, chocou muitas pessoas pela forma como as vítimas morreram e pelo medo que esse animal causa em muitos de nós. Se ratos comuns já causam certo asco e repulsa por nossa parte, imagine ratos de tamanho proporcional a gatos ou até maiores? Parece coisa de filme de terror, mas os tais ratos gigantes realmente existem.


(Fonte: maceioagora)

Eles são da espécie Cricetomys gambianus e são popularmente conhecidos como ratos gigantes de Gâmbia. Como o nome indica, é um grande rato de origem africana, descoberto em 1845. Os machos são solitários, como o hamster sírio,  já as fêmeas fazem colônias entre elas. Ambos os gêneros são criaturas noturnas, onívoras e coprófagas. Além disso, os ratos gigantes da Gâmbia possuem um anel escuro em volta dos olhos, e na maioria deles, a pele é castanha, suas bochechas são largas e seus dentes medem cerca de 3 cm. O seu peso chega a 3 kg, em alguns casos, e podem alcançar até um metro de comprimento, incluindo a cauda, e por essa razão são considerados os maiores ratos do mundo.


(Fonte: myths-made-real)

A notícia mencionada no início desse artigo relata o drama dos pais de Lunathi Dwadwa, de 3 anos de idade, que foi morta durante um ataque noturno dos ratos dessa espécie. Lunathi estava dormindo em uma cama feita no chão de sua casa, quando foi atacada. Os pais sequer ouviram os gritos da menina, que foi encontrada sem os olhos e com partes do rosto arrancadas pelas mordidas. Após apurarem os fatos, a polícia chegou a dizer ao pai da menina que nada poderia ter feito aquilo, a não ser um rato. As autoridades também revelaram que outro bebê morreu atacado pelos roedores, enquanto a mãe adolescente estava fora com amigos. A jovem foi presa e acusada de homicídio e negligência.


(Fonte: flaviocolares)

As mortes parecem fazer parte de uma onda de ataques desses animais. No mês passado, a senhora Nomathemba Joyi, de 77 anos, morreu após ratos gigantes roerem todo o lado direito de seu rosto. O curioso é que os ataques relacionados a esses ratos não se restringem apenas à região africana.


(Fonte: hexell.livejournal)

Os mesmos Cricetomys gambianus viraram notícia em 2007 nos EUA quando autoridades sanitárias do estado da Flórida, iniciaram uma caçada aos ratos gigantes de Gâmbia que infestavam a região de Grassy Key. Estes monstrinhos estavam ameaçando plantações e bichinhos de estimação de quem vivia na região. A solução encontrada pelas autoridades locais incluía o uso de veneno. Além disso, o governo federal também participou da caça aos ratos gigantes e informou que estava iniciando a fase final do segundo ano de um projeto que visa à erradicação desses bichos que há oito anos se proliferavam na Flórida.

Que tal um rato gigante como bicho de estimação?

(Fonte: hardmob)

Apesar de tais notícias a respeito do rato gigante de Gâmbia serem um pouco perturbadoras para nós, esse bicho ainda possui outro tipo de relação com seres humanos. E qual seria? Bichinhos de estimação! Sim, essa espécie de rato é muito procurada para criação doméstica.


(Fonte: blausucht)

O Rato Gigante da Gâmbia começou a surgir recentemente no mercado de animais de estimação e uma das suas mais peculiares características são as bochechas de grande tamanho que utiliza para transportar comida. Cheias, as bochechas permitem transportar até 100 ml de comida de um lado para o outro.


(Fonte: forum.clickgratis)

Os machos são solitários e agressivos em relação a outros machos. Não é por isso aconselhável manter dois machos na mesma gaiola, pois muito provavelmente irão lutar até a morte. Os ratos gigantes são mais ativos de noite. São bastante sensíveis às mudanças de temperatura, o que os pode tornar animais mais difíceis de manter em cativeiro.


Ratazanas heroínas

(Fonte: blogdaspragas)

As minas terrestres são um problema sério em Moçambique. Espalhadas por todo o país durante a guerra civil, que acabou em 1992, elas ainda vitimam muitas pessoas, causando mortes e mutilações. Inclusive, a causa das minas foi uma das principais preocupações da Princesa Diana.
Ok. E você deve estar se perguntando: E o que tem a ver os ratos com esta história?
É que, em Moçambique, os ratos gigantes de Gâmbia são treinados para identificar o cheiro da pólvora.
(Fonte: biokompost)

O peso do rato não é suficiente para detonar as minas. Então, eles são soltos nos campos minados e, ao localizarem uma mina, cavam ao redor dela, deixando-a exposta para ser desarmada pelos humanos.
Estes ratos, com o seu super faro, também estão sendo usados para identificar a tuberculose em escarros de doentes, e estão tendo uma taxa de sucesso maior do que os técnicos com microscópios.


Depois de fazer um balanço dessas informações,  que tal investir num roedor gigante como bichinho de estimação?

Seguidores

Follow by Email