9.03.2011

Apetite por carne humana



Apetite por carne humana

O canibalismo ou antropofagia é a mais brutal forma de sobrevivência praticada por
humanos.
O que leva uma pessoa a consumir outra?
Religião, fome, vingança, insanidade são algumas das causas.
Este post explorará o mundo grotesto e bizarro do canibalismo.

História: Onde surgiu a antropofagia

A antropofagia é uma palavra de origem grego-latina (antro- homem, fagia- fome: fome por homem) consite no ato de consumir partes do corpo e orgãos de seres da mesma éspecie, no caso dos humanos é chamado de canibalismo.
O canibalismo é praticado há mais de 3000 mil anos.
Na antigüidade na Grécia e no Oriente médio existem pergaminhos que datam de 500 mil anos A.C que mostram histórias sobre canibalismo, contos e narrações que relatam casos de homens que consomem carne humana.
Muitas tribos antigas praticavam cabibalismo, os astecas por exemplo devoravam seus prisioneiros de guerra em banquetes para comemorar a vitória numa batalha contra inimigos.
Essa pratica canibal é denominada: exofagia ou exocanibalismo, consiste em consumir carne humana de membros de tribos diferentes.

O ato de consumir partes do corpo de parentes ou pessoas que convivem no mesmo grupo social é chamada de endocanibalismo.
Segundo antropólogos e arqueólogos a prática era encontrada em algumas comunidades ao redor do mundo.
Foram encontradas evidências na Àfrica, America do Sul, America do Norte, nas Ilhas do Pacífico Sul e nas Antilhas (mais conhecidas como Caraíbas devido á fama de "terras canibais"), Europa, e Àsia. 
 
Na maioria dos casos, consiste num ritual mágico ou religioso como uma forma de prestar respeito aos antepassados ou adquirir as suas características.
Há poucos casos recentes de canibalismo que estão ligados com situações limite, onde é necessário recorrer á prática como forma de sobrevivência num caso de vida ou morte.

Religião: loucura ou cultura tribal?

Lideres tribais nas Ilhas Fiji comiam a carne de pessoas consideradas especiais em sua comunidade, quando elas chegavam ao fim da vida para que morressem de maneira digna.
Famílias inteiras matavam e devoravam a carne de avós, tios, pais durante uma cerimônia de morte dedicada à pessoa.
Durante essas cerimônias eram utilizados talheres especiais que só podem ser utilizados para esse tipo de "comida".
Esses banquetes eram promovidos em locais isolados e somente a família da vítima participava.

Em 1912 no Haiti um grupo de homens matou e comeu uma menina de 12 anos durante uma cerimônia vudu.
Na Ilha de Páscoa existia uma tribo antiga que apreciava muito a carne humana, eles viviam em comunidades isoladas e promoviam banquetes onde somente alguns homens de outras comunidades podia participar.

Sobrevivência ou ritual pagão, em meio a essa discussão está a tribo Fore de Papua Nova Guimé.
Para compensar a carência de sua dieta pouco nutritiva de frutas e grãos, a tribo promovia rituais de canibalismo onde os homens consumiam os músculos, mulheres e crianças cerebro e órgãos.
Essas festividades eram realizadas com um menbro recém-falecido da tribo.

O canibalismo foi praticado desde o final do século XIX e durou até a década de 1950 com a chegada de colonizadores europeis á terras distantes e isoladas, no final do século XX o velejador Helio Setti Jr descreveu um caso de uma doença provocada pela ingestão de órgãos em estado de putrefação que ocorreu em Zâmbia na Àfrica.
A doença foi chamada de "Kuru" e consistia numa anomalia que gerava retardo mental severo no individuo devido á uma bactéria que se alojava no cerebro e impede que sejam realizadas sinapses.
Os casos mais famosos de canibalismo ocorreram na década de 20.
Fritz Harmman, alemão mais conhecido como "o vampiro de Hannover" foi condenado em 1924 pelo assassinato de 27 meninos, ele fazia salsichas com a carne dos garotos, esses embutidos eram para consumo próprio e para venda.
Albert Fish estrupou, torturou e devorou 50 crianças alegando que esses atos satisfaziam suas fantasias sexuais.
O russo Andrei Chikatilo matou e consumiu a carne de 43 pessoas entre os anos de 1978 á 1990 alegando que esses atos lhe davam prazer.

No Peru em 2005 um grupo 31 estudantes de medicina junto com um professor foram presos por realizarem uma aula de anatomia bem incomum, após realizarem uma autopsia eles esquartejaram o corpo e fizeram um churrasco onde as pessoas comeram normalmente como se fosse qualquer outra carne de gênero animal.
Ruan Gutieres Maja foi setenciado á 26 anos de prisão por induzir pessoas á antropofagia.
Durante o julgamento os estudantes confessaram que em todas as aulas do professor eles consumiam carne humana, pois eram convencidos que se fizessem isso teriam notas mais altas pois estariam adquiriando mais conhecimento com esse meio.

Em 2008 o casal ucraniano Oxana Shutow e Edward Shutow foram presos por antropofagia.
Um corpo decomposto foi encontrado no poço artesiado proxímo á casa do casal, ele estava bem mutilado e sem as pernas.
Segundo o relato de Oxana eles teriam convidado seu vizinho, o jovem Alexander Novkovi para jantar, houve uma discussão e Edward degolou Alexander.
Para se livrarem do corpo o casal resolveu consumir sua carne, e jogaram os restos no poço em um saco, o que mais tarde seria a prova de seu crime.
Março de 2009 no interior paulista na cidade de Pindamonhangaba foi relatado um caso de antropofagia.
Gilmar Alberto Wasckmam junto com um menor espancaram, mataram e devoraram os órgãos internos do aposentado Aparecido Antonio da Silva.
O crime só foi descoberto quando o menor se indentificou para a polícia e confessou ter participado do crime.
Antropofagia é um tipo de patologia na qual o individuo desenvolve uma apreciação por carne humana, a raiz do problema está em traumas que ele sofreu durante o crescimento.
Os que sofrem dessa patologia dizem que o sabor, a textura e o sangue, são coisas que fazem da carne humana uma verdadeira iguaria.

Seguidores

Follow by Email